Notícias Home » Redação Onde.ir » Nota de Esclarecimento do Corpo de Bombeiros Voluntários de Nova Petrópolis sobre os bugios feridos

Nota de Esclarecimento do Corpo de Bombeiros Voluntários de Nova Petrópolis sobre os bugios feridos

Publicado por Onde Ir     20 de janeiro     132 visualizações    

O Corpo de Bombeiros Voluntários de Nova Petrópolis fez o resgate de dois bugios-ruivo na última semana. Dia 09 de janeiro, por volta das 20h, um animal foi acolhido na localidade de Nove Colônias. Na quarta-feira, dia 11, às 19h, outro bugio foi resgatado no Centro da cidade. Os macacos foram encaminhados para o Zoológico de Gramado (GramadoZoo).

Segundo o comandante dos Bombeiros Voluntários, Ivanildo Santana da Silva, não foi possível identificar se os animais foram vítimas de agressão humana ou disputa por território. “É a primeira vez que tenho memória de resgatarmos bugios feridos. Geralmente os animais atendidos estão saudáveis. Estes foram casos isolados”, ressaltou.

Os veterinários do GramadoZoo SUSPEITARAM, precipitadamente no entendimento da Administração Municipal de Nova Petrópolis, que os macacos tenham sido agredidos por medo da transmissão da febre amarela. A suspeita dos veterinários foi levantada pois o Ministério da Saúde notificou, em 06 de janeiro, 12 casos e cinco óbitos suspeitos de febre amarela, em seis municípios de Minas Gerais, ainda sem confirmação diagnóstica.
Segundo a Fiscalização Ambiental de Nova Petrópolis, os bugios estão entre as espécies ameçadas de extinção no Rio Grande do Sul devido a destruição de seu habitat natural, à caça e ao comércio clandestino de mascotes. “Estes fatores agravam o estado de conservação desta espécie, que serve de sentinela para a febre amarela”, pontuou a fiscal ambiental, Cássia Hoffman.

O Estado do Rio Grande do Sul não teve registro de febre amarela nos últimos tempos. Além disso, o bugio, assim como outros macacos, é um sentinela da febre amarela e não o transmissor da doença. Só o mosquito transmite a doença. Inclusive, a localização de macacos mortos serve como um indicativo de circulação da febre amarela na região.

A Secretaria Municipal de Agricultura e Meio Ambiente denunciou oficialmente o fato à Patrulha Ambiental (Patram) para que o órgão competente atue para encontrar os responsáveis pelo crime ambiental. “Não somos coniventes com maus-tratos a animais, sejam eles silvestres ou domésticos. Esperamos que os responsáveis sejam identificados e que os motivos de tal barbárie contra os macacos sejam esclarecidos. O único fato que podemos afirmar, com certeza, é que foi a população de Nova Petrópolis que acionou os Bombeiros para tentar salvar os animais feridos”, enfatizou o secretário de Agricultura e Meio Ambiente, Lucas da Costa de Lima.
Os artigos 29 e 32 da Lei Federal nº 9605/98 (Lei de Crimes Ambientais) prevê pena de detenção mínima de 3 meses a um ano e multa para quem matar, perseguir, caçar, ferir animais silvestres, domésticos ou domesticados.

A Vigilância Ambiental em Saúde informa que o encontro de macacos mortos deve ser imediatamente comunicado à Secretaria de Saúde e Assistência Social, pois podem indicar a circulação do vírus da febre amarela em uma região. Mais esclarecimentos pelos fones (54) 3298-2650 ou 3281-8409 ou pelos ambiental@novapetropolis.rs.gov.br ou fiscalambiental@novapetropolis.rs.gov.br.


Foto: Corpo de Bombeiros Voluntários de Nova Petrópolis
Fonte: Assessoria de Imprensa - Prefeitura de Nova Petrópolis - RS